segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

É tudo tão simples...

Quantas vezes nos perguntamos
Como é possível viver desse jeito?
Quantas vezes nós erramos
Tentando ser perfeitos...
Quando as coisas estão indo bem,
Quando tudo parece direito,
Sempre achamos um defeito,
Um impedimento.
Quando tudo está a nosso favor
Procuramos explicação no amor,
Mas quando tudo dá errado,
Dizemos que o amor é o culpado.
Não há como entender...
Como a vida deve ser?








quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

(?)




E sabe aquela tal lei de Murphy?
Pois é... De um jeito ou de outro ela sempre aparece comprovando acontecimentos.
Por que as coisas parecem acontecer sempre na hora errada?
Como assim a ordem dos fatores não altera o produto?
Mas é claro que altera...
E como altera...
Algumas coisas me confundem e não fazem sentido algum pra mim.
Por que é sempre tudo ou nada?
Por que é sempre tudo ao mesmo tempo?
A vida é feita de escolhas, eu sei...
Mas por que tem que ser tão difícil escolher?
Eu não posso apenas deixar acontecer, como sempre quis fazer?
Talvez isso faça uma diferença enorme...
Não é sempre do meu jeito,
Mas isso não quer dizer que não pode ser como eu gostaria que fosse...
Por enquanto estou apenas fazendo o que sempre faço,
Apesar de não saber fazer muito bem:
Esperar.
Esperar pra ver no que vai dar.
Pode ser tudo, alguma coisa apenas, ou nada.
****************************************
*[Mais um selinho que ganhei da Gi...]

E repasso para:

http://tonzrevolution.blogspot.com/
http://chegandonostrinta.blogspot.com/
http://gregoryzairuz.blogspot.com/
http://kahcris.blogspot.com/ (mais uma vez)


quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Até quando???



Até quando iremos vestir nossas máscaras,
Fingir que está tudo bem, quando, na verdade, a gente sabe muito bem o que acontece?
Até quando iremos fingir que nada acontece,
Quando os fatos estão bem a nossa frente?
Até quando iremos fechar os olhos para fingir que nada vemos?
E até que ponto isso é possível?
Até que ponto as palavras terão que ser controladas?
Até que ponto é considerado intolerância falar o que se pensa?
Até que ponto teremos que engolir palavras que há muito tempo tem estado engasgadas em nossas gargantas?
Até quando?
E até que ponto?
Até quando seremos testados?
E até que ponto conhecemos nossos próprios limites?
E quando percebemos, até que ponto temos que suportar?
Até quando iremos nos esconder?
Até quando?
Até que ponto podemos enfrentar, sem medo?
Até quando tivermos coragem,
Ou quando isso acontecer?

*Selinho que ganhei da Gi! xD
Obrigada! ^^ :




*

domingo, 23 de novembro de 2008

Fim de tarde...


É como se sentir sozinha em sua própria casa...
Perdida... Sem ter pra onde ir...
E ainda assim querer essa calma solidão.
Em companhia apenas de seus vagos pensamentos.
Ameaça chover.
E ela sabe que aquilo tudo não é bom.
Mas ainda assim busca refugiar-se em meio aquilo tudo.
O vento sopra em seus cabelos
E em atos impensados e apenas por refúgio começa a escrever.
Palavras sem nexo,
Quase que soltando algumas lágrimas,
Querendo desabafar de alguma forma
Sentimentos sem explicação.
É somente ela
E aquela tontura que se manifesta de vez em quando.
Um... Dois...
E pronto!
Já chega!
Tudo se apaga... Se finda...
Agora é esperar para ver.
Resultado talvez não haja.
Sentido muito menos.
E dali por diante
Pouco se sabe...
Pouco se entende...
Mas a busca pelo sentido, a curiosidade que se tinha
Aos poucos se transforma
Em apenas momentos, lapsos...
Já não tem mais tanta importância.
Já não há mais tanta preocupação.
Podia muito bem estar cercada de gente
De gente estranha
E estranhamente acolhida,
Mas não...
É preferível apenas estar só,
Calada...
Sentindo o vento em seus cabelos
Avisando da chuva que está por vir,
Mas, ao mesmo tempo,
Mostrando um tímido sol que ameaça sair,
Pairando a dúvida
Entre o céu azul e as nuvens carregadas.
É inevitável escrever em um papel
Palavras jogadas
Que seriam apenas palavras cuspidas se fossem pronunciadas.
Um simples desabafo,
Sem passar se quer uma mensagem.
Mas, pra quê?
Há alguma serventia?
É apenas um momento.
Um impulso.
Estranha sensação...
Não é tristeza, não é raiva, não é euforia.
Apenas um estranho vício,
Diferente de qualquer outro.
Por mais que seja tão impulsivo e impensado quanto os demais.
Em pensar que podia estar se ocupando com coisas “melhores”.
Em pensar que poderia estar com pessoas fazendo nada também.
Mas não,
Preferiu estar ali.
Num canto escondido,
Esperando que ninguém esteja vendo,
Se calando e escrevendo,
Esperando que ninguém ouça
E ouvindo barulhos não identificados,
Por não ter tanta importância,
Já que busca o silêncio
(Que nunca chega),
E sentindo aquela estranha sensação
Se misturando com tantas outras que tomam conta de seu corpo.
Até que chega a hora em que tudo se acaba, se apaga
E sobra apenas o “silêncio” daquele momento.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Virando a página...


A gente passa a maior parte do tempo se questionando,
E dedica pouco dele
Tentando responder às nossas indagações.
Estou tentando reverter isso.
Há momentos da nossa vida em que só nós mesmos podemos encontrar respostas para as nossas perguntas.
“As minhas dúvidas
Cabe a mim poder resolver
O meu futuro
Cabe a mim poder escolher.”
E só a gente é capaz de escolher isso.
Escolher o que vai ser,
Que pessoa irá se tornar.
E eu estou escolhendo,
Aos poucos,
Nunca é tarde demais pra isso...
E assim vou percebendo e conseguindo o que eu quero,
Me tornar o que sempre quis.
Requer um certo esforço,
Mas qual recompensa que não compensa o sacrifício?!
O tempo passa
E tudo vai passando...
Lembranças ruins se vão
E bons momentos vão chegando...

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Impossível?


Até onde você pode ir?
Você conhece os seus próprios limites?
NÓS mesmos é que criamos o nosso céu e inferno
E escolhemos quanto tempo vamos querer passar em cada um...
Quantas vidas, quantas vezes...
Nossos medos são nossos fantasmas
E nossas conquistas são nossa luz.
E tudo que a gente deseja, se realiza mesmo se realmente quisermos?
VOCÊ escolhe o que vai ser.
Será?
Ou tudo que você é já estava em você,
Apenas esperando e surgindo com o passar do tempo?
Seria possível encontrar uma explicação?
Será que é necessário?
A busca por ela, por mais que pareça incansável,
Um dia se finda...
Um dia se percebe que cada minuto que se perde tentando entender,
É um minuto a menos que se podia estar vivendo, deixando acontecer.
Sonhos, expectativas...
Tudo ocorre de acordo com a vontade de cada um...
É a SUA vida.
E é VOCÊ quem cria.
Impossível é aquilo que você ainda não conseguiu enxergar.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Encontrando um caminho...

Quem nunca se pegou perguntando a si mesmo:
“O que vai ser da minha vida?”
Querendo prever o futuro,
Saber o que será dali em diante.
Futuro próximo ou não...
Nos próximos instantes,
Nos anos seguintes...
Expectativa.
Esperança.
É o que nos motiva para ir em busca de algum objetivo, algum sonho...
E quem não tem um?
E quem ainda não encontrou ou decidiu o seu,
O que fazer?
Andei pensando e me questionando a respeito...
E já que não se tem um sonho,
Por que não contribuir para que os sonhos dos outros se realizem?
Satisfação pessoal também conta, não é mesmo?!
Acredito que quando fazemos alguém feliz,
Conseqüentemente, nos tornamos felizes também.
E por que não começar agora?
A coragem vem aos poucos...
E esse me parece o melhor caminho...
E durante essa caminhada,
É possível encontrar o que sempre se esteve procurando...
Inesperadamente...
Inexplicavelmente...
Simples assim.
As dificuldades são criadas apenas por nós mesmos,
Que insistimos em tornar grandes
Problemas pequenos.
E por que não transformar projetos, idéias, pequenos pensamentos,
Em ações, realizações? ...
Esse é o caminho.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008


Algumas vezes tentamos esconder...
Outras lutamos pra mostrar...
Esconder sentimentos...
Conter lágrimas...
Ocultar sorrisos...
Mostrar desejos...
Mostrar intenções...
Deixar claro o que se quer.
De um jeito qualquer...
O importante é tentar fazer...
Dizer... Mostrar...
O que tiver que falar...
O que precisar...
Esconder somente o que não tiver jeito...
Um segredo... Uma surpresa...
Um defeito...
É só mostrar...
Sorrir... Cantar... Chorar...
Desejar...
VIVER!

domingo, 19 de outubro de 2008

Sem deixar de acreditar...


Há muito tenho contido minhas lágrimas...
Seja por um motivo ou por outro...
Há também aquela vontade louca de gritar bem alto,
De extravasar todos os sentimentos,
E há sempre um motivo que serve de gota d'água para isso.
E eu me pergunto,
Para que segurar as lágrimas?
Orgulho?
Ou a vontade de ser forte e passar isso para outra pessoa?
Talvez um pouco dos dois.
Nós, como seres humanos, temos como estranha característica o orgulho,
Com raras(raríssimas) exceções...
E como todo ser humano,
Eu também, assumo, tenho essa estranha característica dentro de mim.
Mas ao mesmo tempo,
Uso para fazer-me forte em certos momentos,
O que nem sempre funciona...
Na maioria das vezes,
Acabo desabando, antes mesmo que perceba,
Mas acabo me descobrindo mais forte a cada vez...
Estaria eu criando anticorpos contra as quedas da vida?
Não, creio que não.
É preciso algumas pancadas de vez em quando,
Para ver que não é fácil...
Para nos colocar à prova...
Quem for forte, agüenta...
Quem for fraco, desiste.
E já que estou ganhando força,
Será que seria capaz de agüentar?
Ou seria apenas mais uma qualquer a desistir?
Não sei.
Opto por esperar.
Penso no que pode acontecer,
Sem deixar de acreditar.
Sei que nada nunca é tão fácil como gostaríamos,
E do jeito como gostaríamos que fosse sempre...
Mas é bom acreditar que tudo e todos têm um destino certo,
Mas cabe a cada um direcionar o seu.
E eu escolhi que vou ser forte e vou ser cada dia mais feliz.


terça-feira, 14 de outubro de 2008

Um pouco de solidão...



Aquela vida agitada, cheia de compromissos e afazeres,
Cumpridos, mal-cumprido, feitos, desfeitos e esquecidos...
O hábito faz acostumar com essa vida rotineira, porém, diversificada.
Todos os dias as mesmas coisas,
Os mesmos afazeres e compromissos,
Mas ainda assim,
É tudo tão diferente,
Cada dia, a sua maneira.
E quando tudo se acalma,
Terminam os afazeres, os compromissos,
É tudo tão quieto... Estranho...
É tudo tão silencioso... Parado... Estático...
É como se o mundo desse um tempo,
Uma pausa, um giro a menos...
O hábito faz acostumar com essa vida...
O corpo, a mente pede por atenção,
Pede socorro, uma alternativa.
Dias em que tudo é tão vazio, tão frio,
Há aquela estranha sensação de desencontro...
De não saber o que fazer,
Aonde ir...
Não se sabe ao certo...
Dúvidas... Medos...
É tudo um tanto quanto confuso.
Mas esse tempo em que o mundo parece parar,
Dar uma pausa em seus giros,
Serve também de reflexão,
A quem tem sempre certa dificuldade em concluir seus pensamentos,
A quem são sabe o que fazer,
Já que é o que lhe resta:
Pensar.
Em sua calma solidão,
Mas não só.
Música de fundo pra acompanhar.
O som do lápis no papel,
O som do teclado a digitar.
O som de uma voz a sussurrar,
Em sua mente, perturbando,
Mas atraindo seus instintos,
Ajudando de forma inconsciente,
Mas sentindo.
Solidão nem sempre é algo negativo.
Às vezes é preciso mesmo um tempinho com a gente mesmo,
Tentar responder àquelas perguntas que só cabe a nós mesmos encontrar respostas.
Aproveito o tempo em que o mundo parece parar,
Dar uma pausa em seus giros,
Talvez seja proposital,
E se não for,
Cabe a mim fazer disso o que quiser:
Aproveitar ou esperar o mundo dar conta de sua pausa
E girar tão rápido quanto antes,
Recuperando os segundo perdidos,
Em que me perdi ao invés de me encontrar.
Esse tempo me serve de reflexão, sim.
Quero mais disso.
Talvez eu consiga, mais uma vez,
Talvez outro dia,
Enganar o mundo e fazê-lo parar,
Mesmo que por apenas alguns segundos...
Qualquer instante já é suficiente...
Uma solidão consciente...
Sem tristeza, apenas reflexões...
Talvez o mundo se distraia,
Não se de conta de sua pausa,
E, de alguma forma,
Venha me trazer esse instante novamente...

sábado, 11 de outubro de 2008

Egoísmo?




Pensar nos outros em primeiro lugar é não ser egoísta,
Mas e deixar de pensar em si mesmo, para pensar no outro,
Não seria falta de amor próprio?
Tudo está relacionado à quantia.
Tudo depende de quanto espaço isso ocupa e quanto tempo te toma.
Pensar em si mesmo, primeiramente,
É dar valor, se importar,
Para depois pensar em outra pessoa.
Se isso é ser egoísta,
Talvez eu seja.
Mas por outro lado,
Tantas vezes abri mão de uma opinião,
De um desejo,
Para satisfazer alguém.
Isso, pra mim, não é ser egoísta.
E qual o contrário de egoísmo?
E o até onde se deve considerar amor próprio,
E onde começa o egoísmo?
Considerar o que outras pessoas pensam a respeito pode ajudar.
Não gosto dessa palavra, por me parecer um defeito,
Soa como se fosse.
Mas tudo depende.
Depende da quantia e do tempo.
É tudo tão relativo...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O filme da vida...


Eu acho que as pessoas não entram em nossas vidas por acaso.
A vida é como aqueles filmes de suspense,
Tudo é planejado,
As coisas acontecem com mínimos detalhes
E tudo se desvenda apenas no final da história
E é nessa hora que dizemos:
“Ah, entendi! Isso tudo aconteceu por isso e por aquilo! Eu nunca teria imaginado!”
Conosco é a mesma coisa.
Nunca entendemos o que acontece e o porquê,
Mas um dia tudo se desvendará.
Dar tempo ao tempo.
Há aquela frase:
“Só o tempo dirá!”
Ao pé-da-letra não tem tanto sentido,
Porque, por mais que o tempo passe,
Nada ficará claro,
Mas é com o tempo que vamos descobrindo as coisas,
Desvendando os mistérios e os detalhes dos acontecimentos,
Para no final,
Entender o filme todo.
Espero entender o filme da minha vida um dia,
E ver que tudo faz sentido...
E que nada foi em vão...
E dizer: “Valeu a pena!”


terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ainda resta uma esperança...


Por mais que pareça tudo estar acabado...
O coração se contém para não refletir em seu corpo os verdadeiros sentimentos...
As lágrimas, por vezes, ameaçam querer sair,
Mas são contidas... Como em muitas vezes...
O orgulho é empecilho.
Sua respiração é conforme a música que soa ao seu redor...
Suspiros e as insistentes lágrimas outra vez.
Permanece aquela imensa dúvida que,
Por mais que se pense,
Parece não haver resposta nenhuma,
Por mais que saiba que está em algum lugar...
Por mais que saiba que basta procurar,
Que basta insistir...
Mas o medo vem sempre impedir...
Impedir que mais um passo seja dado.
Mas ainda assim,
Há, também, a vontade de fazer alguma coisa,
Por saber que não depende apenas dos outros,
Mas, na maioria das vezes, de si mesmo.
E os minutos no relógio são contados...
Com pressa...
E com a mesma vontade de que não passem.
Não se pode escolher.
Apenas deixar que o destino tome conta disso.
O jeito é tentar fazer o que lhe cabe e é de direito:
Pensar.


sábado, 27 de setembro de 2008

Identidade...


Por vezes me pego pensando em tudo que passou...
De forma repetitiva...
De um jeito que talvez seja até mesmo prejudicial...
Mas seria prejudicial pensar no que é melhor pra mim?
Acho que não.
Acredito que devemos seguir nossos instintos...
Por mais que isso não seja bem visto pelos outros,
Seja encarado como um problema...
Mas eu acredito que todos somos problemáticos, a sua maneira.
Ser considerado problema ou não depende do ponto de vista...
E de como é expressado...
E talvez seja esse o meu:
Não saber me expressar muito bem.
Mas ainda assim, acho que o com o tempo isso muda...
De acordo com experiências... Aprendizados...
E de como os outros ao meu redor vão colaborar com isso.
Nem tudo que eu sou depende de mim mesma,
Mesmo sendo o que eu escolho ser...
E eu escolhi ser quem eu sou,
Apesar de ainda não conseguir ser completamente...
Mas o que conta também é o esforço e a vontade...
E isso eu tenho.
Quero ser quem eu escolhi ser,
Gostem ou não...
E sei que se tiver alguém que não goste ou que não ache suficiente...
Basta pra mim, saber que eu gosto de como eu escolho meus caminhos,
E nada vai mudar isso...
E sei que, por outro lado, tem sempre alguém que pode gostar...
Gosto não se discute.
Sei que posso parecer alguém cheia de problemas e defeitos,
Mas há também qualidades,
Por mais que estejam escondidas por trás disso...
Mas basta querer ver para enxergar...
E basta se esforçar um pouquinho para isso...
Não me mostro facilmente a quem não pode, não quer ou não sabe ver.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Espera...


Vivemos esperando...
Esperando dia após dia...
Coisas melhores...
Dias em que tudo possa ser como a gente imagina...
Mesmo que isso demore...
Esperamos... Esperamos...
Mesmo que impacientemente...
Esperamos momentos em que possamos dizer o que se pensa,
Em que se possa expressar sentimentos através de palavras
Que parecem nunca chegar...
Vivemos esperando por um dia mais ameno,
Cheio de sol e de luz...
Cheio de esperança...
Que parece, com o tempo, acabar...
Vivemos esperando por esperar...
Sem saber se vai ser ou se vai chegar...
Esperamos oportunidades...
Esperamos surpresas...
Esperamos sem esperar...
E essa espera é longa...
Longa o bastante para enlouquecer,
Já que não se pode saber,
Apenas imaginar o que vai ser ou não ser...
Criando, assim, expectativas sem fundamentos...
Esperando por esses momentos...
Com ansiedade e pressa...
De saber o que nos interessa...
Mas não nos resta
Outra alternativa, senão esperar...
Por não saber, por imaginar...
Esperar que seja tudo como a gente deseja,
Sem certeza alguma
Apenas esperança...
Expectativas de um futuro bom...

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Silêncio do destino...

Eu queria saber por que é que eu tenho tanta dificuldade em tomar decisões,
Por que é que eu não consigo escolher algum caminho e ter plena convicção de que fiz a escolha certa?!
Tantos pensamentos que me levam a lugar nenhum...
Tantas dúvidas e preocupações que aos poucos vou me transformando num ponto de interrogação...
Uma pessoa cheia de perguntas e nenhuma resposta para elas.
Encontrar em mim mesma respostas para minhas indagações não tem sido fácil.
O destino é cada vez mais incerto e imprevisível.
Gargalhadas do acaso me chamam atenção...
Sinais inesperados me tiram a atenção,
Me enchem de questionamentos e me forço a tomar uma decisão, por mais difícil que seja.
Angustiada pelo silêncio e pela falta de percepção,
Me encontro perdida e sem direção.
Olho em volta,
Quero ver além...
Além do que os olhos podem ver...
Além do que o coração pode sentir.
Creio que não haja maneira certa,
Uma fórmula ou coisa do tipo.
Solucionar o enigma é um desafio,
Do qual não desistirei tão facilmente,
Apesar de às vezes querer,
Apesar das dificuldades
E da vontade que tenho de abandonar as crises
E fingir que nada acontece,
Ou fingir entender.
Finjo entender a mim mesma
E tento entender os outros.
Quero algo mais que uma vida sem sentido,
Quero um motivo.
Se não eu, que seja outra pessoa,
Se não por mim, que encontre respostas a quem puder servir,
Sem me acovardar e correr atrás.
Mantenho meus olhos atentos a quaisquer manifestações do destino,
Ainda que escondidas
Entre o silêncio dos meus dias
E de minhas indagações.





sábado, 13 de setembro de 2008

Consciência...


Há momentos em que me pego
Perdida em meus pensamentos,
Confusa, sem saber o que fazer,
Pra onde ir...
Sem saber quais decisões tomar...
Talvez isso seja normal...
Mas por vezes começo a pensar que fiz tudo errado,
Que não foi como gostaria...
Mas aí acontecem coisas que me fazem pensar o contrário,
Que em fazem ver que nada é, ou foi, tão ruim como eu pensava...
Não adianta procurar só pelo lado mais fácil,
Às vezes, é preciso ir contra nossas vontades,
Ir contra aquela voz que nos puxa e diz:
"Pare!" "Você não consegue!" "Desista!"
E ir de encontro, bater de frente com o que mais nos amedronta.
É assim que vamos encontrar solução para tudo,
Mesmo aquilo que parece, sem dúvida alguma, não ter solução.
Comigo é assim...
Há sempre uma voz que me diz: "Não vá!"
Mas, por outro lado, tem outra que diz: "Você é capaz!"
Eu fico em dúvida de qual devo escutar.
A primeira me parece tão convincente...
Enquanto a outra me parece tão encorajadora...
Às vezes, consigo enfrentar isso,
Que me impede de fazer muitas coisas...
Mas compreendo a necessidade disso tudo,
Apesar de ainda querer (ou pensar querer)
Que tudo fosse mais fácil...
Mas esses obstáculos têm lá seu valor...
EU escolho quem devo ser...
E eu já escolhi...
Agora estou tentando colocar em prática.
Não é fácil.
Sei que não vai ser.
E ainda tenho medo.
Mas alguma coisa ainda insiste em mim,
E me diz:
"Você consegue... Não desista!"

sábado, 6 de setembro de 2008

Há dias...


Em que o tempo parece não passar...
Há dias que parece não chegar...
E apesar de tudo, tudo que acontece,
Me sinto feliz...
Acredito que minha vida está se tornando cada vez melhor.
Há também aqueles dias nostálgicos,
Em que me prendo ao passado, pra mim, distante,
E que me faz pensar, ou melhor, repensar,
Mas acho que, por muitas vezes, isso é até necessário,
Apesar de pesar, de vez em quando.
Mas há dias em que tudo é perfeito,
Ou pelo menos quase,
E ver que me fazem ver que a felicidade existe
E que está mais perto do que eu imaginava,
O que compensa algumas outras coisas.
Há dias como hoje também,
Em que não sei,
Não sei o que faço,
Mas anseio para que o tempo passe depressa,
Espero um momento, uma oportunidade
E mudar o rumo de tudo isso,
O meu rumo...

sábado, 23 de agosto de 2008

Sem saber...



A gente não escolhe a velocidade do tempo
Ou a intensidade das coisas...
A gente só escolhe o caminho que vamos seguir.
Nossas opiniões, nossos desejos,
Muitas vezes nem são nossos...
Nos foram enfiados na cabeça de alguma forma,
Influenciados por outras pessoas,
Que também não tem nada que sejam delas.
Eu queria ser dona dos meus próprios pensamentos, dos meus próprios sentimentos,
Mas eles possuem vida própria.
O que posso dizer é que, talvez, eu seja apenas dona das minhas ações e olha lá.
A gente tem poucas oportunidades de poder tentar prever o que acontece, planejar, desejar,
Mas isso acontece tão rápido que quando nos damos conta, já é passado,
Já passou, já aconteceu.
E mais uma vez a gente não previa que fosse dessa maneira.
E, na maioria das vezes, é assim.
A incerteza nos acompanha e é só disso que podemos ter certeza:
A certeza de nunca poder ter certeza de nada.
Nossos passos são vagos, rumo a lugar nenhum,
Não podemos saber pra onde vamos,
Apenas desejar,
O que, às vezes, nem é realmente o que queremos,
Pois é tudo tão confuso que ora queremos, ora não sabemos.
Vou vivendo a confusão de ser quem sou,
De não saber de nada e ainda assim querer saber,
O que talvez nem seja meu, ou que eu não saiba ao certo se quero,
Mas vou querendo, mesmo assim.
Estando longe ou perto de mim,
Anseio por conquistar o que me parece mais difícil,
Às vezes tenho sucesso, às vezes não.
E é assim a vida não é?!
Não se pode ganhar sempre...
Mas torcer é sempre bom,
Por mim e pelos outros.
Quero ser feliz também.
Acho que merecemos.

domingo, 17 de agosto de 2008

Entrelinhas...


E a gente nunca diz o que quer dizer.
Está tudo nas entrelinhas.
Entre vírgulas há interrogações,
Que não se sabe o motivo ou razão,
Que se esconde a verdadeira exclamação.
Não há direção certa a seguir.
E eu escolho a minha pontuação.
Travessão:
- Nada é como a gente imagina.
Só digo o que eu não quero dizer
E o que eu digo querendo dizer
Parece ninguém entender.
Fica entre parênteses,
Para que se abra ou feche,
O que depende do sujeito.
Canso-me de indagar questões sem respostas,
Como, por exemplo:
Será que alguém faz o seu dever de casa?
Abre aspas.
Não tenho tempo.
Deixo pra depois.
Tenho medo.
Fecha aspas.
Se há espaço para mais uma interrogação?
Sempre há, por mais que não haja.
O que eu quero saber é:
Onde fica o ponto final?
Não sei se o melhor caminho é buscá-lo ou fugir dele.
Confusão.
Conhecer o próprio campo de imagens, palavras, idéias...
Há muito que fazer.
Reticências.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Lembranças...


A minha vida é cheia de assuntos inacabados.
Envelopes esquecidos que, de vez em quando, despertam minha curiosidade.
E eu os abro, de vez em quando, mesmo sabendo que tocam feridas que ainda não cicatrizaram.
Lembranças que me perturbam agora,
Parecem não querer voltar para esse lugar, antes esquecido.
Sou obrigada, então, a refletir sobre elas,
Mesmo pensando que isso me faz mal,
Não consigo evitar...
Mas eu quero...
Quero esquecer o que me impede de ser feliz,
O que me atormenta e me faz ficar assim...
Perdida... Sem saber o que fazer, pra onde ir...
Quero jogar ao mar todas as memórias desses assuntos mal resolvidos.
Quero outra vida agora.
Viver o que não vivi...
Por medo...
Por falta de oportunidade...
Por falta de coragem...
E cada um tem sua vida.
E é por isso, que vou cuidar da minha,
Cuidar de mim...
Buscar ser feliz...

sábado, 9 de agosto de 2008

Palavras ao vento...



E sabe aqueles dias em que você se pega dizendo:
“Hoje não é meu dia...”?
Sabe aqueles detalhes ruins, acontecimentos inesperados,
Que somados um ao outro, enchem seu dia de contratempos?
Eu até hoje não sei no que devo acreditar, ao certo.
Se esses pequenos detalhes, normalmente pessimistas,
Que são capazes de mudar todo um curso, um acontecimento,
Se eles são de fato avisos, mostrando que esse não é o caminho certo,
Ou se são apenas obstáculos para me atrasar, me fazer desistir.
Sempre fico em dúvida quando várias coisas acontecem,
Parecendo que não é pra ser do jeito que eu quero,
Ou da forma que caminho.
Na melhor das hipóteses, eu prefiro achar que são só obstáculos,
E que eu vou superar, vou passar por eles e alcançar o esperado,
E sendo otimista, da melhor forma possível.
Mas, por outro lado, às vezes me falta coragem pra seguir em frente,
Com medo do destino, com medo do que possa acontecer.
Sei que é bom se arriscar de vez em quando,
Sei que se não tentar não vou saber...
Mas tenho a estranha mania de querer tudo certo,
Penso no fim antes que comece.
Isso me incomoda.
Tento me contrariar, arriscando de vez em quando,
Enfrentando obstáculos, ou seja, lá o que for,
Mas não é sempre que encontro coragem.
Não é sempre que as coisas são como eu gostaria.
Eu tento enfrentar os meus medos, todos os dias,
Mas nem sempre tenho sucesso.
E um deles é esse mesmo:
Não conseguir.
Apesar de saber que sou capaz.
Há um sentimento involuntário que me impede e, às vezes, me faz desistir,
Mas ao mesmo tempo, briga com a vontade,
Que, por muitas vezes, sai vencedora,
Como eu sempre quis...
E eu não sei bem o que acontece.
É um misto de sentimentos, contradições, pensamentos confusos.
Tento afastá-los, mas, creio eu, ser impossível.
E já que eu não posso com eles...
Vou ao menos tentar entendê-los, controlá-los...
Quem melhor que eu mesma pra fazer isso, não é?!
Essas palavras são simples desabafos...
Palavras ao vento...
Pensamento ao acaso...
De uma mente perturbada que insiste em expor seus pensamentos e idéias sem propósito algum,
Ou talvez até tenha, mas não cabe a mim revelá-los.
Às vezes ficam nas entrelinhas.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Estagnação...


Algumas coisas simplesmente acontecem quando tem que acontecer,
Ou não acontecem, e a gente fica sem saber.
Expectativas, planos, sonhos...
Tudo fruto da nossa imaginação.
Na realidade,
Quase nada é como a gente espera,
Ou como a gente gostaria que fosse.
Mas as oportunidades nos são dadas de acordo com a nossa necessidade
E não de acordo com a nossa vontade.
Por muitas vezes, minha vontade não foi alcançada,
Mas sei que nem sempre será.
Às vezes, eu tenho as oportunidades que preciso,
Mas limito-me a enxergá-las,
Ainda não sei por quê.
Se é pelo fato de pensar que isso acontece sempre
Ou se é assim e pronto.
Talvez um dia descubra a verdadeira razão para isso,
Ou, talvez, descubra que há um bloqueio tão grande em minha mente,
Que não há mais conserto.
Mas tem que haver.
Se eu criei uma barreira,
Só eu mesma posso destruí-la.
E enquanto me questiono sobre isso,
O tempo vai passando,
Oportunidades vou perdendo.
Talvez por incompetência minha,
Talvez por tudo acontecer de forma inesperada,
Por muitas vezes, repentina.
Talvez eu veja que, por mais que eu queira,
Eu não posso ter tudo de uma vez,
Por mais que eu queira muito.
E essa dificuldade que eu tenho em optar por algum caminho,
Acaba por me levar a caminho nenhum,
E eu acabo sempre no mesmo lugar,
Com os mesmos pensamentos.
Pensando, pensando e não passando disso.
Mas eu ainda quero que isso mude.
Será que há mesmo solução para tudo???

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Recomeço...


E de que adianta ficar parado, vendo a vida passar de forma insatisfatória?
De que adianta dizer que tudo vai bem, mentir pra si mesmo, e nada fazer?
É preciso mudar algumas coisas, uma vez ou outra.
É preciso entender a si próprio antes de querer entender qualquer outra coisa.
Recomeçar é preciso, sempre.
Fazer com que o que incomoda hoje, não perturbe mais amanhã.
Levar em conta todas as experiências vividas, erros cometidos,
Pra que nada de ruim se repita, outra vez.
Todo dia é dia de recomeçar alguma coisa.
Seja um novo projeto, uma nova idéia, um novo plano.
Seja deixando de lado o que não te faz bem e adotando um novo meio de viver.
Seja “apenas” decidindo por não estagnar seu pensamento naquilo que você sabe, não lhe faz bem.
Por vezes, reclamamos daquilo que temos e daquilo que nos falta,
Sem perceber que tudo isso é mérito do que fazemos,
É aquilo que escolhemos ser que nos tornamos.
Refletir a cada manhã como será o dia de hoje.
Você tem duas opções:
1-Fazer dele o melhor possível.
2-Não fazer, e se lamentar por isso depois.
A nossa vida é feita de escolhas.
Se concentrar em um objetivo, uma meta
E correr atrás disso, sem medo, sem receio.
A gente erra de vez em quando, a gente cai e se machuca,
Mas o que seria da vitória, se não houvesse o mínimo esforço?
Descobri que pensar de mais, às vezes, pode atrapalhar,
Mas em grande parte delas, ajuda e muito.
Nos faz medir ações e palavras antes de qualquer coisa,
O que é muito importante.
Pensando nisso decidi não deixar minha vida passar assim,
Tão depressa como tenho notado que passa.
Fazer alguma coisa para que amanhã não me arrependa de nada ter feito.
Me dedicar a coisas, aprendizados pessoais, que só eu mesma posso fazer.
Vou RECOMEÇAR...
Recomeçar hoje...
Recomeçar amanhã...
Quantos dias forem necessários...

Porque...

“A gente não pode voltar atrás e fazer um novo começo,
Mas a gente pode começar agora,
E fazer um novo fim!”


quinta-feira, 17 de julho de 2008

O Pôr-do-Sol...



Demora a chegar.
Mas vale a pena.
Contemplar sua beleza,
E por mais que demore,
Sua presença sempre compensa.
Parece raro,
Talvez pelo tanto que o esperamos,
É preciso uma noite toda,
Um dia inteiro,
Para tê-lo novamente.
Mas vale a pena...
Esperar todo esse tempo,
Nos faz valorizá-lo cada dia mais.
Esperar por todo o dia,
Em que acontece as coisas mais diversas.
Há dias em que coisas boas somam à alegria do pôr-do-sol.
Há dias em que coisas ruins, contidas neles, são compensadas com sua chegada.
Tudo requer um certo sacrifício.
E é assim em nossas vidas...
Como um pôr-do-sol...
É preciso paciência para esperar por um futuro bom.
Há dias bons,
Há dias ruins,
Barreiras que temos que ultrapassar.
E se tivermos a certeza de que o pôr-do-sol chegará,
Nada será impecílio para alcançá-lo,
Para poder contemplá-lo.
É preciso apenas coragem e fé...
Dias melhores virão...

terça-feira, 8 de julho de 2008

Questionamentos ao acaso...

Será que alguém um dia já imaginou o tamanho do espaço que existe entre pensar e fazer?
Entre pensar em fazer e realmente fazer?
Será que alguém um dia conseguiu descobrir o verdadeiro sentido da vida?
Eu me pergunto... Será???
É tanta dúvida, tanta confusão...
É tanta contradição...
Tudo tem um motivo realmente pra acontecer?
Ou é só o que dizem pra me convencer?
Há a busca incessante por novos caminhos,
Novos rumos,
Novas vidas...
Há quem procure mudar de ares,
De aparência,
De amigos...
Tenta mudar sua existência...
Tenta procurar abrigo...
Mas é tudo máscara...
Para esconder o verdadeiro sentimento,
Atrás de coisas que não fazem o menor sentido...
É tudo em vão...
Acho que não há mesmo solução...
Ou talvez até haja...
Mas onde?
Às vezes, é tão difícil compreender as coisas...
Mesmo tentando incessantemente...
Impacientemente...
Mesmo sabendo que tudo tem seu tempo...
Mesmo estando cansada de ouvir conselhos e frases feitas...
Tudo a mesma coisa...
As mesmas palavras, as mesmas lições,
Que, na maioria das vezes, não me servem de nada.
Mas fico feliz por saber que se preocupam comigo,
Eu também me preocupo...
Agora eu me preocupo...
Tenho tempo pra isso,
Já que deixei de me preocupar tanto com os outros.
Egoísmo?
Não.
Apenas senso.
Era o que eu estava precisando.
Me preocupar comigo mesma acima de tudo.
Sem deixar de lado, o que existe de melhor em mim:
A capacidade de pensar no outro também.
Me importo com as pessoas.
Me importo com tudo ao meu redor.
Fico indignada, insatisfeita, confusa, incompleta.
Tantos sentimentos...
Alguns até indescritíveis...
Até que chega um ponto em que não mais sei o que dizer...
Pois tudo se torna tão igual...
O começo se assemelha ao final...
Parece não ter meio nem fim...
Na verdade, acho que nada está realmente bom pra mim...
Não sei mais o que escrever...
Mas há aquela necessidade que aparece de vez em quando,
Gritando dentro de mim que precisa, de alguma forma, sair...
E é assim... Desse jeito...
Sem sentido, mas sem medo...
Não me importo mais com que os outros vão pensar...
É por mim, não importa o lugar,
O importante é desabafar...
Afinal...

“Todo mundo procura um lugar
Pra poder compartilhar
Da dor e da alegria...”

Como um dia eu já disse...
Cessam-se as palavras...
Sem mais sentido...
Mas com propósitos válidos...
Talvez tenha até alguma serventia...

Quem sabe...






quinta-feira, 3 de julho de 2008

Incertezas...


Passamos grande parte do nosso tempo
Pensando, relembrando, planejando...
Na verdade, a maioria dele...
Eu costumo fazer isso sempre
E talvez com mais freqüência do que qualquer outro.
Passamos muito tempo tentando entender a tudo que acontece,
Mas a vida é um imenso ponto de interrogação.
Vivemos de incertezas,inseguranças, medos.
O futuro é sempre incerto.
E o que queremos é a segurança do presente, passos firmes,
Esperando que tudo dê certo,
Mas, muitas vezes, o medo nos impede de tentar.
Medo de errar...
Medo do que possa acontecer...
Medo de ser feliz...
E acabamos nos privando de viver intensamente... Por medo...
A gente tem o péssimo costume
De nos apegar a lembranças,
Fazer comparações de um passado, que deixou de existir,
Com um presente ou futuro que, provavelmente, é (ou será) diferente...
Mas há incertezas...
A gente nunca sabe muito mesmo...
Eu não sei o que será de mim...
Eu só queria esquecer o que me impede de ser feliz...
Medos...Lembranças...Incertezas...
Devo me acostumar com o jeito que as coisas são...
Afinal, a gente nunca sabe.
Tudo é tão incerto!
A gente nunca sabe das mudanças que acontecem no meio do caminho...
A gente nunca sabe do amanhã...
Vivemos de incertezas...
A gente nunca sabe...
A gente nunca sabe...

sábado, 28 de junho de 2008

Conflitos pensamentares...


Às vezes, tomamos palavras incertas como se fossem verdades.
Será a vontade de que tudo fosse real?
Porém, há o medo,
Que tentamos, mas não podemos esconder,
Pois no fundo, no fundo,
Sabemos que tudo não passa de fantasia... Mera ilusão...
Tolice, isso sim!
Ou não?
Aquilo que pensamos ser verdade realmente se torna,
Quando queremos nos convencer disso?
E fazer com que isso aconteça não seria tentar se enganar?
Se enganar...
É o que muitos fazem...
Por medo... Receio...
Buscando autoconfiança...
Por vezes tentei me enganar.
Por outras de nada adiantou.
Como agora,
Em que sei o que se passa,
Esse sentimento estranho que toma conta,
Sem preencher o vazio que há muito se manifesta
Não como um problema,
Pois não há a busca por uma solução,
Mas como um enigma a ser entendido,
Que deixa pistas... Incompletas... Confusas...
Eu tento entender, dia após dia,
Antes e depois do sono...
De que me adianta?
A resposta não vem.
Não sei se me engano,
Fingindo pra mim e pros outros que não há nada de errado,
Gritando em silêncio mais uma vez,
Ou se aceito ou enfrento de uma vez por todas tudo que acontece.
Mas a minha fala emudece.
A confusão prevalece.
Entre fazer o incerto
E esperar pela certeza,
Escolho a segunda opção.
Talvez seja loucura tentar fazê-lo,
Mas talvez seja ainda pior nada fazer.
Ainda estou parada, no mesmo lugar.


quinta-feira, 19 de junho de 2008

Vou fingindo entender...

A vida... As pessoas... As coisas que acontecem...
Pois tudo acontece de forma tão inesperada...
Num momento, tudo é como a gente queria...
Temos a vida que almejamos ter...
Temos momentos para nunca mais esquecer...
E de uma hora para outra,
Tudo muda... Deixando um vazio a ser preenchido...
Deixando a dúvida...
Algo que não é esquecido...
Não que não se possa fazê-lo...
Mas é difícil... Se livrar de lembranças...
Mesmo quando a gente quer muito...
É preciso um esforço maior...
E não depende só de nós...
Depende do que acontece em nossas vidas...
E a minha, parece ter uma lacuna...
Que nunca é preenchida...
Poucos foram os momentos em que pude dizer que fui feliz por completo.
Poucos foram os momentos em que eu pude ter certeza que tudo daria certo.
Mas eu ainda tenho esperança...
Esperança de algo melhor...
Que o futuro esteja me reservando...
Que o presente esteja me preparando...
Para que, quando esse momento chegar,
Eu esteja pronta...
Para não desistir... Para lutar...
Lutar pelo que eu quero...
Ao invés de esperar, estagnada...
Quero a certeza de um amanhã...
Será que é pedir demais?!
Quero ser feliz o tempo todo...
Mas isso eu creio que sou...
Melhor... Quero ESTAR feliz o tempo todo...
Mostrar um sorriso verdadeiro...
Não um sorriso que esconde os verdadeiros sentimentos...
A vida nos mostra como o mundo dá voltas...
E espero que gire pra mim também...
Fazendo com que tudo mude...
E não pare no mesmo lugar...
No mesmo ponto de partida...
Girando, girando e chegando exatamente onde sempre esteve.




terça-feira, 17 de junho de 2008

E mais um post...


É... depois de muito tempo estou escrevendo aqui novamente...
Não por falta de ter o que escrever, que me afastei,
Pelo contrário, sempre tenho muito...
Penso demais, o tempo todo...
E isso sempre rende muito assunto...
Mas acho que nem todos os pensamentos devem ser publicados,
Por mais que isso seja um "diário",
Alguns pensamentos não devem ser escritos,
Então os escondi.
E acho que foi melhor assim.
Foi preciso tempo para organizá-los,
Para que amadurecessem...
E agora acho que já consigo expor parte do que eu sinto, novamente.
Mas entendam: se lhes contar todos os pensamentos, todos os meus segredos
Não vão existir mais segredos...
Por isso conto o que acho necessário
Para que tirem suas próprias conclusões...
Para que, se alguém precisar, ou for esperto suficiente,
Consiga tirar uma lição de tudo isso...
Assim como eu tirei dos acontecimentos ocorridos.

*Segue o post abaixo.

O tempo...


Quanto tempo se passou...
Quanta coisa mudou...
Tanta coisa aconteceu...
Será que alguém, alem de mim, percebeu?

Agora eu penso um pouco diferente
Por saber que nada é como antes.
O tempo nos faz ver, não mente,
Mostrando que nada é tão constante.

Nem a felicidade,
Nem a admiração,
Nem a amizade,
Nem o amor no coração.

As pessoas se contradizem,
Fazendo o contrário do que falam.
Talvez mintam quando dizem
Que procuram o que lhes faltam.

Eu queria poder entender
Mas começo a desistir.
A mente humana é muito difícil de se compreender
Creio eu, que não adianta insistir.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Mais um dia qualquer...


E eu aqui a pensar e pensar...
Pensando em algo...
Pensando em nada em especial...
Eu só queria não ficar pensando demais...
Só me faz imaginar besteira...
Fazer planos que nunca vão acontecer...
É o que acontece quando não se sabe o que vai ser...
Mas aí está,
A gente nunca sabe mesmo...
Portanto, é inevitável pensar demais...
E hoje mais do que nunca não paro de pensar...
Talvez por não ter a mínima idéia do que vai acontecer...
Talvez por ansiar que aconteça logo...
Ou que simplesmente aconteça...
Começo a desistir de tentar entender as coisas... As pessoas...
É tudo tão confuso... Contraditório...
Minha cabeça está numa confusão só...
É tanta coisa que passa... Que fica... Que vai...
Cada vez mais complicado...
Mas ainda não consigo desistir de tudo...
Me preocupo...
Me nego a aceitar que nada posso fazer...
Mas ainda não vejo uma saída...
Não vejo nada que esteja a meu alcance...
Talvez por isso esteja assim...
Angustiada com a dúvida e confusão em meus pensamentos...
Pois nada posso fazer...
A não ser pensar e não me conformar...
Sentir vontade de chorar... De gritar... De sumir...
Num dia nublado... Sem cor... Sem vida...
Sem solução... Sem saída...

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Tentando entender...


Eu não sei o que o futuro me reserva...
Eu não sei como vai ser daqui a uns dias...
Eu não sei...
Apenas vou imaginando...
Criando expectativas...
Quando menos espero,
Me pego pensando em planos mirabolantes...
Talvez inalcançáveis...
Se o que eu vivo hoje já é confuso,
Imagino daqui a um tempo...
Mas eu tento não imaginar muito,
Não fazer planos nem promessas,
Não me comprometer em fazer nada que eu possa me arrepender depois...
Eu tenho medo do que pode acontecer...
Eu tenho medo do que vai estar esperando por mim mais tarde.
Hoje é tudo tão confuso...
De nada tenho certeza.
Por vezes até escondo o que sinto,
Mas não é por mal...
Talvez seja melhor assim...
Ou talvez não...
Pior pra mim...
Eu sei...
Mas não consigo... Algo me impede...
As lágrimas são contidas e eu minto pra mim mesma,
Buscando mudar o que sinto e o que eu penso.
De nada adianta.
Eu não consigo me enganar por muito tempo,
Logo vejo a verdade, novamente,
Mesmo tentando não ver,
Não sentir, não seguir o que eu preciso.
Me importar comigo mesma?
Ah... Já tem muita gente que faz isso.
Eu tenho o meu valor, claro,
Mas é tanta gente se preocupando com o que acontece comigo que, às vezes, acho desnecessário,
Opto por não me preocupar demais,
Já que se preocupam por mim,
E, por muitas vezes, até demais.
Sabe, às vezes eu queria jogar tudo pro alto e gritar um “FODA- SE” bem grande...
É tanta coisa que acontece...
Tanta coisa que parece sempre aparecer para nos derrubar
E, principalmente, nos melhores momentos da nossa vida.
E volta aquela idéia de que nada nunca é perfeito.
E ninguém é perfeito, sempre há algo de errado.
Nós somos humanos...
É normal... Nós erramos...
Eu busco sempre tentar acertar...
Não falhar com as pessoas que amo...
Não magoar ninguém...
Mas eu não sou perfeita...
E defeitos e qualidades são questões de ponto de vista.
É como dizem...
Não temos defeitos ou qualidades...
Temos características...
E eu tenho as minhas...
Positivas ou não...
Só que a diferença é que tento mostrar só o lado bom...
Não fico mostrando o que tenho de ruim,
Principalmente, pra mim mesma...
E acho que seria ótimo se todos fizessem isso,
Não ficassem preocupados em mostrar logo o lado ruim... Seus “defeitos”...
Tentassem mostrar o que tem de melhor...
E mostrassem principalmente, pra si mesmos...
Não se culpando sempre e nem se martirizando por alguma atitude errada,
Mas tendo a plena consciência de que pode errar,
Pois todos erram...
Mas o mais importante é errar tentando acertar...
Aí está o nosso valor...
Reconhecer um erro e tentar consertá-lo.
Eu faço o que eu posso.
E espero estar fazendo tudo certo...







domingo, 4 de maio de 2008

Novos dias...


Os dias vão passando...
E eu vejo como a minha vida tem mudado em um curto período de tempo.
Tanta coisa aconteceu que fica difícil até de enumerar.
Aprendizados... Escolhas...
De vez em quando vou vivendo um ano em um dia...
De vez em quando vou vivendo um dia como se fosse um ano...
É difícil descrever com precisão tantas emoções e acontecimentos...
E ainda há aquela incerteza e insegurança que acontece, de vez em quando,
Esperando acordar na manhã seguinte e ter de volta toda a maré de azar me cobriu um dia,
Esperando que tudo que hoje é tão perfeito e especial mude de uma hora pra outra,
Voltando tudo ao normal,
Acordando de um sonho, ou despertando de um longo pensamento... Pura imaginação...
Às vezes eu acho que tudo vai passar e que volta mesmo ao normal,
Que a felicidade é passageira...
Mas, ultimamente, ando tão otimista que prefiro não ficar pensando nisso.
Parecia que nada nunca dava certo pra mim,
Mas, pela primeira vez,
Eu não consigo encontrar um motivo, suficientemente forte, pra reclamar da vida.
Vejo pessoas reclamando o tempo todo do que tem, do que lhes faltam...
E eu sempre reclamei também, sempre achei motivos pra isso,
Mas hoje eu não quero.
Seria ingratidão demais da minha parte,
Já que a vida tem sido tão generosa comigo.
Às vezes tenho medo de ter que pagar por isso no futuro,
Já que nada nessa vida é de graça.
Às vezes eu tenho medo...
Medo que, às vezes, me impede,
E sempre me impediu,
De fazer muitas coisas...
Mas começo a achar que o medo é necessário.
Por muitas vezes acaba até sendo muito útil,
Apesar de, na maioria delas, atrapalhar bastante.
Hoje eu tento deixar de lado todo e qualquer pensamento negativo.
Medos... Preocupações... Pessimismo...
Tudo que um dia me impediu de viver o hoje,
E que talvez me impeça de viver o amanhã.
Hoje eu só quero viver em paz.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Não Quero...

(Adriana Britto)

Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando. Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim... Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível... E que esse momento será inesquecível... Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor. Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém... e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho... Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento... e não brinque com ele. E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe... Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz. Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas... Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim". Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!





sexta-feira, 11 de abril de 2008

Coragem...



Hoje me sinto mais forte,
Com mais coragem que nunca,
Apesar de o meu subconsciente me fazer entrar em contradição em certos momentos...
Mas hoje é diferente...
Não sei de onde tirei tal coragem que acredito ter ganhado.
E nem sei dizer quanto tempo vai durar...
Meus sentimentos são sempre tão confusos
E, muitas vezes, com prazo de validade curto,
A não ser aqueles que tomam conta por vários instantes...
Ficam na lembrança, na memória...
E parecem nunca se apagar...
Espero que o mesmo aconteça com a coragem que acabo de ganhar!
Autoconfiança...
Era o que eu precisava...
Eu sei que eu posso.
Qualquer um pode.
Basta querer e tentar.
Mas...
“Aquele que não luta pelo que quer, não merece o que deseja.”
E...
“É preciso forças pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê...”
Eu agora tenho coragem para ter esperanças de alcançar um sonho...
Mesmo que ainda não tenha descoberto, ao certo,
Mas eu sei que...
“Se a gente aprender a olhar pra ele vai descobrir que está muito perto...”
Eu vou buscando o meu...
Tentando alcançá-lo...
Olhando para os lados e a minha volta...
Quem sabe não está mais perto do que eu imagino?!



quinta-feira, 3 de abril de 2008

Sorriso... =D

Brota um sorriso em minha face
Logo pela manhã...
Um sorriso inesperado e que há muito não se mostrava.
Um sorriso que, mesmo com poucas horas de sono,

E horas mal dormidas,
Mesmo com medos e incertezas,
Mesmo com tudo que há de estranho,
Ainda existe...
E isso é mais estranho ainda.
Não sei dizer da onde vem,
Só sei que meus olhos sorriem também...
Assim como meu corpo que acompanha,
Que dança e canta,
Eufórico que só,
Alegrando a quem me fazia sentir dó...
Num misto de empolgação
Com a vontade de fazer os outros sorrirem,
Assim como eu, que sorrio até quando não entendo o porquê disso estar acontecendo.
Mas ao mesmo tempo,
É um sorriso medroso,
Como aquele que tem medo de mostrar os dentes,
Com receio do que podem descobrir com o sorriso mais sincero.
Mas o meu sorriso, ainda que não seja constante,
Ainda que não se mostre a todo tempo em meus lábios,
É o mais puro e sincero de todos,
Pois mesmo que ninguém perceba,
Ele ainda existe no meu olhar,
No meu pensamento,
E até mesmo no meu caminhar...





domingo, 30 de março de 2008

Expectativa de vida...



Nem tudo é como a gente quer, como a gente imagina...
Porque sempre arranjamos algo errado em nossas vidas.
Nem tudo é como a gente espera, como a gente deseja...
Pra que tanta pressa, se há tanta incerteza?

Imagino muito o que há de vir.
Sinto, às vezes, o que nem deveria sentir.
Quando vejo já estou longe, mas não posso evitar,
Minha imaginação insiste em voar.

Me confundo e me perco em mim mesma
Num misto de pensamentos, de sentimentos...
E, hoje, de nada eu tenho certeza
Porque já me perdi há tempos...

Mas ainda sei que há uma razão
Que ainda não consigo entender.
Não vejo nenhuma explicação
E será que deveria ver?

E eu espero, espero até vir
Algo que eu possa ver e sorrir
E dizer, um dia, que finalmente encontrei
Aquilo que toda a vida sempre procurei.

sexta-feira, 28 de março de 2008

terça-feira, 25 de março de 2008

O que eu também não entendo...




Ahh...porque certas coisas realmente não me convencem e eu não vejo explicação para tal...
E hoje tudo que eu vejo é confuso...
Não entendo o porquê de algumas atitudes...
Não vejo porque esconder o que se pensa...
Não vejo porque me calar diante do inconformismo...
Não vejo porque não dizer o que eu penso...
Já me calei demais...
Já senti muito medo...
E ainda sinto...
Mas não vou deixar que isso me impeça.
Não quero magoar ninguém...
Mas ao mesmo tempo, não posso deixar de ser eu mesma para que isso aconteça,
Pois estaria escondendo quem eu sou
Para aliviar as dores dos outros
Que, por outro lado,
Me causam tanta dor quanto a que eu penso que causarei...
Eu realmente tento...
Mas eu não entendo...
Não consigo...
Não me conformo...
E acho que jamais me conformarei...
A menos que tudo mude...(o que eu duvido)
Que me faça mudar...
E hoje eu seguro minhas lágrimas...
Não quero que me vejam chorar...
Sinto raiva por isso(muita raiva)...
Mas uma hora tudo passa...
Mas a mágoa há de permanecer...
Porque nada mais é como antes,
Por mais que seja esquecido por um tempo...
Nunca vai ser apagado de nossas memórias...
Porque ainda mais que os momentos felizes,
Os momentos de angústia e decepção são gravados facilmente,
Principalmente quando você espera demais por algo...
Decepção...
É o que eu sinto hoje...
E sabe quando você espera uma coisa e, quando vê, nada é como queria?!
Pois é...
Até me sinto culpada por "dizer" todas essas coisas...
Talvez esteja fazendo tempestade em copo d'água...
Mas é como eu "disse" antes...
Não posso me ocultar aos pensamentos e opiniões...
Principalmente quando me perturbam...
E é isso que eu faço agora...
Grito em silêncio para poder me expressar...
Pois não quero chorar... não quero falar...
Não quero mais nada...
E não espero que tudo mude de uma hora para outra,
Pois sei que como sempre foi,
A tendência é que continue assim...
E cabe a mim me adaptar
Ou tentar, pelo menos mudar alguma coisa...
Mas ainda não posso...
Ainda não consigo...
Não espero compreensão dos leitores...
Não espero paciência de ninguém para ler isso...
Mas aos que tem e sempre tiveram
Agradeço pela paciência em "ouvir" esse desabafo...
Talvez sirva de lição para mais alguém...

["Todo mundo procura um lugar pra poder compartilhar da dor e da alegria..."]

(E talvez esse seja um dos meus...)

Ponto final.




segunda-feira, 17 de março de 2008

Otimismo novamente...

Pelas ruas onde ando
Vou buscando encontrar
Um sentido, algum rumo,
Um caminho pra trilhar.

Vou buscando explicação,
Vou buscando uma razão.
Algo que me faça sorrir,
Algo que me faça não desistir.

Eu procuro e não vejo
Aquilo que procurei
Mas quanto mais o tempo passa
Mais perto eu sei que cheguei.

Detalhes são importantes
E sei que vou precisar
E mesmo sendo distante
Acredito, hei de encontrar.

As dificuldades existem,
Obstáculos para atrapalhar,
Mas é isso que nos dá força
E nos faz continuar.

Não vai ser nada fácil
Mas o importante é não desistir
A esperança está ao meu lado
Eu sei, vou conseguir!





domingo, 16 de março de 2008

Pensamento da madrugada...

O que acontece é que ando sem palavras...
Sem paciência para organizar certos pensamentos...
Ou melhor, todos eles...
São tantos que acabam me confundindo
E, por muitas vezes, me tirando o sono...
Penso, penso, penso...
E de que me adianta se parece que não me movo para lugar algum...
De certa forma, tudo realmente muda...
Mas comigo é tudo tão lentamente que muitas vezes nem percebo...
Mas eu vejo, depois de muito tempo, depois de muito pensar...
Valeu a pena...não me arrependo...
E hoje, me sinto bem...me sinto feliz...
E talvez por isso não tenha escrito aqui por tanto tempo...
Talvez a necessidade seja maior quando há tristeza...
Mas ainda assim eu quero mostrar
Os dois lados da moeda...
O lado bom...o lado ruim...
Nada é tão perfeito que não haja algo de errado
E nada é tão ruim que não tenha algo de bom!
O mundo é perfeito!
Ah...o mundo é perfeito!






domingo, 24 de fevereiro de 2008

Sempre haverá um amanhã...

Amanhã é um novo dia...
Novas aventuras...Novas conquistas...
Tudo novo...
Pois cada dia é uma pequena vida...
E porque não dizer uma nova vida?!
Viver intensamente cada minuto...Cada segundo...
E cada vida...
Pois cada uma delas é única!
Cada pequena vida é cheia de momentos bons...que podem se tornar inesquecíveis...
É só saber ver e aproveitar...
Chega de só reclamar das coisas boas que nós temos...que pra uns ás vezes parecem ser insuficientes...
Mas que para outros...é tudo que queriam ter...
Um sorriso...um olhar...um momento de carinho...
Tudo tão especial...
Não reclamar da chuva incessante...
Não reclamar do sol...
Do vento...
Pense como seria sem eles...
É...cada coisa é necessária a seu modo...
E especial...
Tente ver isso na vida de hoje...
Garanto que não vai se arrepender!